Com o objetivo de levar água às pequenas comunidades do Sertão Central do Ceará, conscientizando e engajando a população, instituições públicas e privadas na busca de uma resolução efetiva do problema de abastecimento hídrico na região, selecionaremos municípios a serem contemplados com instalações de equipamentos para extração e acumulação da água em poços já cavados, porém inoperantes, além da construção de chafarizes que visa favorecer a distribuição da água e socialização, tornando o local um ponto de convivência para a população das comunidades rurais. Como estratégia para viabilizar a sustentabilidade do projeto, campanhas comunitárias serão desenvolvidas através de ações conjuntas das associações locais com o projeto, com a função de sensibilizar e conscientizar a comunidade quanto à manutenção da estrutura e consumo adequado da água.
Seu financiamento ocorrerá através da comercialização de produtos desenvolvidos, recebimento de doações e da realização de eventos culturais.
O Ceará tem 184 municípios, dos quais 150 estão inseridos na zona rural do semiárido, representando 86% da área territorial do estado, onde se encontra apenas 20% da população. Fatores climáticos e geológicos adversos, resultam em muitos dias sem chuva e na frequente ocorrência de seca nessa região.
Os efeitos de cinco anos consecutivos de estiagem no estado do Ceará colocou-o em uma situação crítica, dentre os quatro piores estados, com áreas consideradas a nível de seca excepcional, o mais drástico na escala de estiagem da Agência Nacional das Águas (ANA).
O Resultado da seca é uma grande dificuldade de abastecimento de água para a produção agrícola e pecuária, gerando gravas problemas econômicos e sociais, como o êxodo e a desagregação de famílias. Enquanto processo de desertificação avança, mais de 45 municípios cearenses apresentam índice de desenvolvimento baixo, segundo o relatório de 2010 do PNUD. A população do sertão resiste diariamente aos duros efeitos da seca.
Após período de chuvas, a água acumulada nos pequenos reservatórios da região se esgota. As ações públicas emergenciais de envio de carro-pipa para as comunidades rurais, durante as estiagens anuais, não são suficiente para atender a necessidade da população que vive no sertão central do Ceará.
O abastecimento de água para núcleos populacionais abaixo de 50 famílias (cerca de 250 pessoas) se torna economicamente inviável, devido ao elevado custo das infraestruturas hídricas necessárias, para atender as comunidades geograficamente dispersas.
JUNTOS, SOMOS CAPAZES DE MUDAR A REALIDADE VIVIDA POR MILHARES DE FAMÍLIAS QUE SOBREVIVEM NO SERTÃO NORDESTINO, PARA QUE UM DIA A MISÉRIA E A FOME NO SERTÃO SEJAM LEMBRADAS APENAS COMO UM FATO HISTÓRICO.

CONECTE-SE